Normas e Certificações

7.1 Introdução

A normatização é um processo característico de grandes empresas porque envolve grande investimento financeiro, organizacional e humano. Para as pequenas, a normatização ocorre geralmente por pressão da concorrência e de grandes empresas compradoras ou contratantes de serviços.

As várias normas existentes não se resumem, porém, à padronização de procedimentos. Elas propiciam à empresa uma ampla reflexão a respeito das ferramentas de gestão a serem utilizadas para garantir o planejamento da evolução sustentável. Elas implicam, sobretudo, a mobilização interna necessária para realizar um diagnóstico detalhado e fiável do comprometimento da organização. Nesse sentido, as normas são também parte da estratégia das organizações. Podemos distinguir dois tipos de normas de acordo com os objetivos de seus promotores.

Há aquelas que são publicadas por mecanismos oficiais de normatização, entre
as quais destacamos:

• ISO 14000 (meio ambiente)
• ISO 9000 (qualidade)
• CE EMAS (ambiental)
• BS 8800 (condições dignas de trabalho)
• BS 8855 (ambiental)

O mercado incentivou a criação de instituições que normatizassem certos elevados
padrões de gestão em áreas como segurança e condição do trabalho, entre outros. Neste domínio, as normas de maior destaque são:

• SA 8000 (direitos sociais)
• OHSAS 18001 (riscos/acidentes)
• AA 1000 (prestações de contas)

Especificamente na área de RSE, o Brasil já possui sua norma
de responsabilidade social, que tem caráter de sistema de gestão e propósito
de certificação.

• ABNT NBR 16001

Também possuem normas de responsabilidade social os seguintes países:

• Inglaterra (BS 8900)
• Austrália (AS 8003)
• França (SD 21000)
• Israel (SI 10000)
• Japão (EC S2000)
• Itália (Q-Res)
• Alemanha (VMS)

Com base na demanda mundial sobre o tema da responsabilidade social, está
em andamento e previsto para 2009 a criação de uma terceira geração de normas
— a de Responsabilidade Social — apresentando diretrizes sem propósito
de certificação.

• ISO 26000

Mas é na área ambiental que encontramos o maior número de normas e também
as mais avançadas, com instrumentos aceitos e estabelecidos. Elas são úteis
para a divulgação da RSE e também porque oferecem modelos já consagrados
que podem servir de inspiração para o aprimoramento das normas sociais.