Publicação Traz Ferramentas de Gestão para o Desenvolvimento Sustentável

Com patrocínio da PETROBRAS e da COMGAS e o patrocínio cultural (Lei Rouanet) da ANGLO AMERICAN e da AES TIETÊ , esta publicação Gestão do Conhecimento. Compêndio para a Sustentabilidade - Ferramentas de Gestão de Responsabilidade Socioambiental reúne ferramentas de 33 países com o objetivo de ampliar a adoção de práticas de RSE à cultura e sistemas de gestão de pequenas, médias e grandes organizações de vários portes e todos os três setores sem exceções (esferas públicas, privadas e organizações não-governamentais).

É preciso entender que se trata de um problema de todos e que temos a responsabilidade pelo todo, começando por nos mesmos, individualmente, em nossas atitudes em casa, no trabalho, na rua...

Estas ferramentas atendem às necessidades dessas organizações em diversas etapas de gestão, contribuindo para processos de aprendizagem, auto-avaliação, prestação de contas e incorporação de princípios de responsabilidade
socioambiental nas suas atividades.

Este levantamento revela também a diversidade e a convergência entre as várias ferramentas desenvolvidas por centros de pesquisa e organizações, ainda pouco divulgadas no Brasil, e serve de parâmetro para análise do que está acontecendo num mundo cada vez mais globalizado.

Sem ter a pretensão de querer abranger a totalidade de ferramentas existentes, mesmo porque o tema é relativamente recente e encontra-se em pleno desenvolvimento — não estão contemplados aqui, por exemplo, os Bancos
de Práticas e Códigos de Ética e Conduta, que, por serem de inegável contribuição para a performance socialmente responsável, merecem toda a atenção das organizações —, reconhecemos que, apesar do avanço metodológico e técnico e do número expressivo dessas ferramentas, estamos apenas começando uma longa etapa de remodelação de um sistema que até hoje tem priorizado apenas os aspectos econômicos.

Trata-se de uma visão estratégica da responsabilidade socioambiental como um dos elementos de base para garantir concretamente a evolução sustentável das atividades humanas. Só assim se pode construir uma base para decisões políticas e criação de estratégias empresariais e governamentais condizentes com o estado atual do mundo, de escassez e insustentabilidade.

Como outro elemento de base, é imprescindível conscientizarmo-nos de que a RSE é um processo que demanda postura, princípios, valores, DNA: uma forma de ser, pensar, decidir, agir, conduzir e reagir (Plan, Do, Chek, Act) diante de suas atividades.

De uma nova consciência pode surgir a criação de um novo mundo, mais justo e sustentável. Estamos falando nada menos do que reinventar a nós mesmos, reenquadrar nossas percepções, remodelar nossas crenças e nossos comportamentos, adubar nosso conhecimento, reestruturar nossas instituições e reciclar nossas sociedades. (Hazel Henderson)

O Compêndio para a Sustentabilidade On-line disponibiliza o conteúdo da publicação na Internet, pelo site www.compendiosustentabilidade.com.br, de modo que seja constantemente atualizado. A atualização poderá ser feita pelas próprias organizações que criaram as ferramentas a partir de credenciamento realizado on-line. Além disso, será possível a inclusão de novas ferramentas, que ainda não constam da publicação impressa, e o intercâmbio de experiências e procedimentos bem-sucedidos entre as várias organizações, usuárias das ferramentas, potencializando soluções efetivas na adoção de práticas de responsabilidade socioambiental e desenvolvimento sustentável.

Idealizada e coordenada por Anne Louette, esta iniciativa conta com apoio de várias organizações da sociedade civil, como:

  • Centro de Estudo em Sustentabilidade da FGV (Ces),
  • Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável (Cebds),
  • Fundação Instituto de Desenvolvimento Empresarial e Social (Fides),
  • Grupo de Instituto Fundações e Empresas (Gife),
  • Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social (Ethos),
  • Núcleo AG de Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa da Fundação Dom Cabral (FDC),
  • Instituto Akatu pelo Consumo Consciente (Akatu) e
  • Willis Harman House (WHH).

    Boa Leitura!

    Anne Louette
    ferramentasrse@globo.com

    - Formada pela faculdade de administração de empresas de São Paulo: a Fundação Getúlio Vargas.

    - É diretora estatutária e voluntária do Reciclar desde 1998.

    - Trabalhou no Instituto Ethos de Empresa e Responsabilidade Social como coordenadora de um novo projeto, tratando-se do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente.

    - Por indicação do Ethos, aceitou o desafio de criar a área de Responsabilidade Social Empresarial (RSE) da Fiesp - Federação das Indústrias do Estado de São Paulo com o objetivo de incluir a RSE na agenda dos seus milhares de associados.

  • Elaborou e coordenou a pesquisa sobre as práticas socialmente responsáveis das industrias paulistas."Responsabilidade Social Empresarial - Panorama e Perspectiva na Indústria Paulista".
  • Compilou todo o trabalho realizado na gestão do então presidente Horacio lafer Piva no "Relatório Socioambiental FIESP/CIESP/IRS Gestão 2001-2004".

    - Na Funap – Fundação de Amparo ao Preso (Fundação do Governo do Estado de SP vinculada a Secretaria de Administração Penitenciária) era Diretora de Atendimento e Promoção Humana.

  • Elaborou e coordenou a pesquisa “INAF-Indicador de Alfabetismo Funcional da População Carcerária de São Paulo”.

    - Idealiza e coordena publicações com o apoio institucional dos principais ícones da RSE no Brasil:

  • “Gestão do Conhecimento - Compendium de Ferramentas de Gestão de Responsabilidade Socioambiental, uma Contribuição para a Sustentabilidade” e
  • “Indicadores de Sustentabilidade de Nações – uma Contribuição para o Dialogo da Sustenttabilidade”a ser lançada em 2008.